Total de visualizações de página

sábado, 19 de janeiro de 2019

O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO IRÁ ESCOLHER "O REITOR" DE 11 UNIVERSIDADES FEDERAIS, DENTRE ELAS A UFRN



O Presidente Jair Bolsonaro poderá escolher o reitor de 11 universidades federais neste ano.

O motivo: nos últimos dias da gestão Michel Temer foi editado um documento que reduz o poder dos estudantes e funcionários nas eleições internas.

Neste ano, devem vencer os mandatos dos reitores da UFRJ, UFC, UFGD, UFMA, UFPE, UFRB, UFRN, UFV, UFVJM e Unirio.

Visando combater às amarras ideológicas que persistem viver dentro das Universidades Federais, o governo pretende diminuir "o poder" das ideologias esquerdistas dentro das instituições.


MINISTRO PAULO GUEDES QUER DEMISSÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS POR MAU DESEMPENHO, NÃO BASTA TER ESTABILIDADE, TEM QUE PRODUZIR



Integrantes da equipe comandada por Paulo Guedes dizem que está nos planos de reestruturação das carreiras públicas a regulamentação de duas situações: o direito de greve e a possibilidade de demitir servidores por mau desempenho.

“Simplesmente acabar com a estabilidade seria muito desgastante, uma vez que esse é um direito que foi assegurado ao funcionalismo federal e aos estados pela Constituição. Existe uma outra forma de dar maior eficiência ao funcionalismo” disse um integrante da equipe de Guedes a O Globo

“Hoje, por exemplo, é muito difícil demitir um servidor por incompetência. Falta uma regulamentação. Quem é demitido acaba conseguindo voltar, depois que entra na Justiça. Isso tem que ser aperfeiçoado e pode ser feito por lei complementar".


sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

A IMPRENSA BRASILEIRA LEVA DESINFORMAÇÃO NO CASO DO FLÁVIO BOLSONARO, NÃO HÁ PEDIDO PARA BARRAR AS INVESTIGAÇÕES DO CASO, VEJA.



A grande imprensa novamente prestou um desserviço gigantesco ao País nesta quinta-feira ao divulgar com estardalhaço que o senador eleito Flávio Bolsonaro teria ingressado no STF com pedido para suspender as investigações em andamento contra seu ex-assessor, Sr. Fabrício Queiroz. A divulgação da mentira foi tão eficiente que novamente gerou tensões entre apoiadores do governo.

A verdade não está nas tintas da grande imprensa, que tem compromisso apenas com a mentira e com a guerra política contra o governo. A verdade está nos autos, no texto da reclamação judicial enviada por Flávio Bolsonaro ao STF e na decisão proferida pelo Ministro Luiz Fux, conforme pode ser lido nesse documento aqui: nele fica claro que Flavio Bolsonaro não pediu a suspensão da investigação contra seu ex-assessor Fabrício Queiroz, como foi mentirosamente divulgado, até mesmo em manchetes.

Flávio Bolsonaro entrou com pedido de medida liminar contra uma investigação que está sendo feita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro contra ele próprio, Flávio Bolsonaro, de maneira ilegal, à revelia da justiça e do próprio investigado. Conforme descrito no documento mencionado acima, Flávio Bolsonaro vem tendo seu sigilo bancário quebrado desde julho de 2018 por parte do Ministério Público do Rio de Janeiro sem a devida autorização judicial, como manda a lei:

(…) [O Ministério Público do Rio de Janeiro] utilizou-se do COAF para criar “atalho” e se furtar ao controle do Poder Judiciário, realizando verdadeira burla às regras constitucionais de quebra de sigilo bancário e fiscal. 

Esse procedimento torna qualquer investigação eivada de nulidade. Além disso, o próprio investigado não tinha conhecimento formal de que estava sendo investigado, o que confere a esse procedimento investigatório ilegal características de perseguição política pura e simples, semelhante ao conhecido padrão da esquerda petista de elaborar dossiês com o objetivo de perseguir seus inimigos.

O pedido de liminar em questão não faz qualquer menção ao Sr. Fabrício Queiroz ou a terceiros, como pode ser atestado na leitura do documento e na decisão do Ministro Luiz Fux. É preciso enfatizar em vista da enorme desinformação que foi propagada pela imprensa na quinta-feira: Flavio Bolsonaro não entrou no STF com pedido para suspender a investigação contra o Sr. Fabrício Queiroz. Ele ingressou na suprema corte para defender-se contra uma ilegalidade que vem sendo cometida contra ele por parte do Ministério Público do Rio Janeiro.

Erro técnico na estratégia da defesa

Cabe no entanto observar que, a despeito legítimo direito de Flavio Bolsonaro ou de qualquer pessoa de defender-se contra um procedimento investigativo ilegal, o pedido de liminar contém um erro de estratégia jurídica, com potencial de implicação política, além de um erro técnico em sua fundamentação. Erro esse que foi replicado pelo próprio ministro Luiz Fux na sua decisão favorável, e correta do ponto de vista do mérito, ao pedido.

O erro consiste em alegar a prerrogativa de foro para justificar o pedido de deferimento da liminar pelo STF, pelo fato de Flávio Bolsonaro ser senador eleito. O argumento é falho, pois a prerrogativa de foro somente existe para parlamentares investidos e no exercício do mandato, e não para parlamentares eleitos e já diplomados.

O procurador Deltan Dallagnol criticou a decisão a decisão de Luiz Fux, arguindo a noção de fato investigativo anterior ao mandato. Um argumento também errado tecnicamente, pois nem Flávio Bolsonaro nem qualquer outro parlamentar eleito ano passado, possui ainda um mandato em relação ao qual se possa arguir anterioridade para contestar decisão judicial.

O mandato parlamentar de Flávio Bolsonaro e dos demais eleitos ano passado somente passará a existir de fato e de direito após a investidura no cargo, que ocorrerá em primeiro de fevereiro. Logo, o argumento de prerrogativa de foro no âmbito do STF não se aplica ao seu caso, assim como não se aplica o princípio de anterioridade, como fez Deltan Dallagnol para contestar a decisão.

O correto seria a defesa ter ingressado com o pedido no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que é o juízo natural de Flavio Bolsonaro pelo fato de ele ser deputado estadual daquele estado, cabendo um eventual recurso ao STJ ou STF caso o pedido fosse negado pela justiça estadual. A ida direto ao STF, além de tecnicamente errada, gerou um potencial de ônus político, amplamente explorado pela imprensa e pelos nossos inimigos na esquerda, que poderia ser evitado.

O ministro Luiz Fux, por sua vez, deveria ter rejeitado in limine o pedido como improcedente por constituir-se em supressão de instância, e ter remetido o pedido de medida cautelar para ser apreciado pelo seu juízo natural, que é o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Portanto, a estratégia da defesa de Flávio Bolsonaro foi errada do ponto de vista técnico, assim como a decisão de Luiz Fux, e pelas implicações políticas que gerou, ainda que justa e legítima no seu mérito: ninguém pode ter seu sigilo bancário quebrado sem autorização judicial.

O caso do ex-assessor Fabrício Queiroz

No que diz respeito às supostas movimentações bancárias atípicas do Sr. Fabrício Queiroz, o nosso posicionamento é inequívoco: se houve qualquer cometimento de ilegalidade ou de quebra de decoro parlamentar por parte do então deputado, em relação aos atos de seu ex-assessor, essa ilegalidade tem que ser investigada, e a investigação precisa e deve ocorrer, obviamente, nos termos do devido processo legal.

No entanto, até esse momento não houve qualquer evidência material inequívoca produzida pela acusação que viesse a dar indícios sólidos de quebra de decoro ou ilegalidade cometida por Flavio Bolsonaro.

O que houve desde o início desse episódio foi o vazamento de informações para a grande imprensa por parte do COAF, que sequer esclareceu a métrica utilizada para definir o que a instituição entende por movimentação atípica na conta do ex-assessor e qual o suposto envolvimento, se é que houve algum, do deputado Flávio Bolsonaro com essa suposta atipicidade.

É imperativo que esse caso seja esclarecido. É isso que esperam os eleitores de Flávio Bolsonaro e ele próprio, conforme já declarou. E é isso que nós do Crítica Nacionaltambém esperamos. Mas que esse esclarecimento seja feito por meio de uma investigação séria segundo os preceitos do devido processo legal. E não por meio de vazamentos seletivos para grande imprensa e menos ainda por meio de procedimentos investigativos à margem da lei. 


Por Paulo Eneas e Christina Fontenelle


Fonte: Crítica Nacional

"DINHEIRO EM ESPÉCIE E DENTRO DE CAIXAS DE WHISKY" ERAM ENTREGUES A LULA, AFIRMA ANTONIO PALOCCI EM NOVO DEPOIMENTO

Ex-presidente Lula e Antonio Palocci


O ex-ministro Antonio Palocci, delator da Operação Lava Jato, relatou entregas de dinheiro em espécie, de propina paga pela Odebrecht, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações estão em um termo da primeira delação fechada por Palocci com a Polícia Federal de Curitiba.

Palocci prestou o depoimento em 13 de abril de 2018, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba – a delação foi homologada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em junho do ano passado. Nesta quinta-feira (17), o depoimento foi anexado ao inquérito da PF sobre a Usina de Belo Monte, que tramita em sigilo.

No depoimento, Palocci diz que:

Entregou a Lula, "em oportunidades diversas", dinheiro vivo, em remessas que chegaram a até R$ 80 mil. De acordo com ele, o ex-presidente lhe pedia que não comentasse com ninguém a respeito do assunto.

Lula recebeu propina pela obra da Usina Hidrelétrica Belo Monte, no Pará. A Odebrecht destinou R$ 15 milhões a Lula, segundo Palocci. A Andrade Gutierrez também é citada.

Dilma Rousseff, quando ainda era candidata, soube dos pagamentos da Andrade Gutierrez ao PMDB e autorizou que continuassem.

Em encontro com Dilma no Palácio do Planalto no início de 2011, ela, que já era presidente, não autorizou pagamentos da Andrade Gutierrez ao PT. Palocci afirmou que, na ocasião, perguntou a Dilma se havia necessidade de autorizar que a empreiteira fizesse pagamentos específicos vinculados à participação em Belo Monte.

O G1 procurou a defesa do ex-presidente Lula e aguarda um posicionamento. Em outras ocasiões, a defesa de Lula disse que o ex-presidente nunca cometeu atos ilícitos.

O G1 também tenta contato com as defesas de Branislav Kontic e com a empreiteira Odebrecht.

Dinheiro em espécie

Um trecho da primeira delação do ex-ministro diz: "[Palocci] Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da ODEBRECHT e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de trinta, quarenta, cinqüenta e oitenta mil reais em espécie para o próprio Lula".

O ex-ministro afirmou ter entregue R$ 50 mil ao ex-presidente, dentro de uma caixa de celular, no Terminal da Aeronáutica em Brasília (DF), durante a campanha de 2010. Um ex-motorista de Palocci chamado Claudio Souza Gouveia, que foi ouvido pela PF em agosto do ano passado no inquérito sobre a Usina de Belo Monte, diz ter testemunhado o encontro.

Outro trecho da delação de Palocci diz: "Em São Paulo, recorda-se de episódio de quando levou dinheiro em espécie a Lula dentro de caixa de whisky até o Aeroporto de Congonhas, sendo que no caminho até o local recebeu constantes chamadas telefônicas de Lula cobrando a entrega".

De acordo com Palocci, essa cobrança do ex-presidente a caminho do aeroporto foi presenciada por outro motorista, chamado Carlos Pocente, que inclusive brincou perguntando se toda aquela cobrança de Lula era apenas por causa da garrafa de uísque.

Em resposta, Palocci disse que "era óbvio que a insistência de Lula não era por bebida, e sim pelo dinheiro; que o motorista afirmou ao colaborador que estava brincando e que sabia que se tratava de dinheiro em espécie". Pocente também foi ouvido pela PF no inquérito e confirmou ter presenciado o encontro.

Propina pela obra de Belo Monte

Com relação à propina que Lula teria recebido pela obra de Belo Monte, Palocci disse que a empreiteira a Andrade Gutierrez pagou despesas ao Vox Populi e que, em benefício do ex-presidente, fez doações ao Instituto Lula e pagou palestras ao ex-presidente.

Já a empreiteira Odebrecht destinou R$ 15 milhões a Lula, de acordo com Palocci.

O pagamento foi feito a pedido de Emílio Odebrecht, com operacionalização feita por Palocci e por Marcelo Odebrecht. Desse total, Palocci soube que R$ 4 milhões foram pagos por meio de doação oficial. O restante, disse, foi sacado em diversas oportunidades por Branislav.

Dilma Rousseff

No depoimento, Palocci diz ter informado Dilma Rousseff, na época em que era candidata à presidência, quanto aos "vultosos pagamentos que a Andrade Gutierrez estava fazendo ao PMDB em razão da obra da Usina Hidrelétrica Belo Monte".

De acordo com o ex-ministro, "a então candidata tomou ciência e efetivamente autorizaou que se continuasse a agir daquela forma".

O texto prossegue:

"em relação a pagamentos ao Partido dos Trabalhadores, esclarece que a Andrade Gutierrez, na pessoa de Otávio de Azevedo [ex-presidente da empreiteira], continuava a manifestar explicitamente ao colaborador a vontade de colaborar financeiramente com sua agremiação política [PT]; que, em razão disso, em encontro que teve com Dilma Rousseff posteriormente, o colaborador a indagou se havia necessidade de autorizar que a Andrade Gutierrez fizesse pagamentos específicos e atrelados a sua participação na Usina de Belo Monte; que o encontro ocorreu no início de 2011 no Palácio do Planalto; que, segundo o colaborador, Dilma Rousseff não autorizou os pagamentos pela Andrade Gutierrez".

O que disseram os motoristas à PF

Em seus depoimentos à PF em agosto passado, os ex-motoristas citados por Palocci disseram ter testemunhado as entregas do ex-ministro a Lula.

Claudio Souza Gouveia disse que por diversas vezes levou Palocci até o Terminal da Aeronáutica em Brasília para levar a Lula presentes e outros objetos.

Gouveia recordou que, entre os presentes, estavam caixas de uísque, celulares e canetas. Elas eram entregues por Palocci, que voltava minutos depois ao carro. O motorista, no entanto, declarou que nunca soube se as caixas continham efetivamente os produtos.

Ele também disse ter visto o ex-ministro carregando grandes quantidades de dinheiro em espécie. Em algumas oportunidades, Palocci teria dito se tratar de documentos, mas fazia um gesto com os dedos que indicavam ser dinheiro.

De acordo com Gouveia, o ex-ministro tinha pressa ao fazer esses deslocamentos.

Já Carlos Alberto Pocente, que foi motorista do ex-ministro por 30 anos, afirmou se recordar de um episódio, entre aqueles que envolviam dinheiro, no qual Palocci estava com muita pressa para levar uma caixa de uísque até Lula, no Aeroporto de Congonhas.

Também afirmou que houve um episódio em que ele levou o ex-ministro, que estava com uma maleta vazia, a um banco. Na volta, segundo o motorista, a maleta estava visivelmente cheia. Em seguida, conforme o depoimento de Pocente, eles foram para a sede do Instituto Lula.

Fonte: G1

GOVERNO ATUALIZA REAJUSTE DO SEGURO-DESEMPREGO EM 3,43%



O empregado demitido sem justa causa terá o seguro-desemprego corrigido em 3,43%, correspondente à inflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no ano passado, informou hoje (18) o Ministério da Economia.

A parcela máxima passará de R$ 1.677,74 para R$ 1.735,29. A mínima, que acompanha o valor do salário mínimo, foi reajustada de R$ 954 para R$ 998. Os novos valores serão pagos para as parcelas emitidas a partir de 11 de janeiro e para os novos benefícios.

Atualmente, o trabalhador dispensado sem justa causa pode receber de três a cinco parcelas do seguro-desemprego conforme o tempo trabalhado e o número de pedidos do benefício. A parcela é calculada com base na média das três últimas remunerações do trabalhador antes da demissão. Caso o trabalhador tenha ficado menos que três meses no emprego, o cálculo segue a média do salário em dois meses ou em apenas um mês, dependendo do caso.

Quem ganhava mais que R$ 2.551,96 recebe o valor máximo de R$ 1.735,29. Quem ganha até R$ 1.531,02 tem direito a 80% do salário médio ou ao salário mínimo, prevalecendo o maior valor. Para remunerações de R$ 1.531,03 a R$ 2.551,96, o seguro-desemprego corresponde a R$ 1.224,82 mais 50% do que exceder R$ 1.531,02.

O beneficiário não pode exercer atividade remunerada, informal ou formal, enquanto recebe o seguro. O trabalhador é obrigado a devolver as parcelas recebidas indevidamente, caso saque o benefício e tenha alguma ocupação.

O trabalhador demitido pode pedir o seguro-desemprego pela internet, no portal Emprega Brasil. É necessário ter em mãos as guias entregues pelo ex-empregador ao homologar a demissão, o termo de rescisão, a carteira de trabalho, o extrato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a identificação do Programa de Integração Social (PIS) ou do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e documento de identificação com foto.

Fonte: Money Times

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

MPRN EMITE RECOMENDAÇÃO PARA COMBATER EVASÃO ESCOLAR NA REDE DE ENSINO MUNICIPAL EM TOUROS/RN



O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), através da Promotoria de Justiça de Touros, expediu uma recomendação para as instituições de proteção à criança do Município visando combater a evasão escolar na rede pública da cidade. A unidade ministerial apurou que os índices de infrequência, abandono e evasão escolar de Touros afirmam a necessidade de medidas intersetoriais para o combate da situação.
 
Nesse sentido, o MPRN recomendou aos diretores escolares do Município que, ao constatarem situações de ausência escolar, adotem todos os mecanismos pedagógicos que dispuser na própria escola para reinserir o aluno na escola. No caso dos recursos se esgotarem, a diretoria deve informar ao Conselho Tutelar junto com a lista de frequência do aluno.
 
Em relação ao Conselho Tutelar, a recomendação prevê que o órgão execute as medidas de proteção cabíveis, entre elas o comparecimento a escola, reunião com os dirigentes da instituição de ensino e os responsáveis pelo menor de idade. Além disso, o órgão pode adotar medidas socioassistenciais, incluindo a família em programas de proteção temporário. Para isso, pode utilizar da assistência do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) para o envio de relatórios periódicos com o acompanhamento do caso.
 
O MPRN também recomendou que a Secretaria Municipal de Assistência Social de Touros promova ações a fim de inserir a família no Serviço de Proteção Integral à Família (PAIF), no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), ou em outros que possam fortalecer o vínculo familiar e a inclusão escolar.
 
Todas as ações devem ser tomadas com o intuito de orientar a família acerca da importância da frequência escolar e aquilo que pode acarretar no caso da evasão.
 
Os destinatários da recomendação terão o prazo de 30 dias para informar o MPRN acerca das medidas tomadas para acatar o documento ministerial.


Fonte: MPRN

MERCADO BILIONÁRIO: ATIVOS DE USINAS EÓLICAS E SOLARES FORAM NEGOCIADOS NO NORDESTE POR R$ 2,9 BILHÕES, NEGOCIO FEITO ENTRE EMPRESA ITALIANA E CHINESA



A elétrica italiana Enel assinou por meio da subsidiária Enel Green Power contrato para a venda de 540 megawatts em usinas eólicas e solares no Brasil à chinesa CGN Energy International Holdings em uma transação avaliada num total de R$ 2,9 bilhões, ou € 700 milhões.

O negócio envolve 100% dos ativos, que já estão operacionais, com pagamento no momento do fechamento.

Os ativos negociados com a chinesa foram as usinas solares de Nova Olinda, com 292 megawatts, no Piauí, e Lapa, de 158 megawatts, na Bahia, além do parque eólico Cristalândia, de 90 megawatts, também na Bahia.

“Com a venda desses ativos, nós estamos capturando valor para um crescimento maior no Brasil, onde estamos implementando um grande ‘pipeline’ de projetos renováveis. Nós seguimos focados nas oportunidades oferecidas pelo mercado renovável brasileiro e vamos continuar a investir no país”, disse o chefe da Enel Green Power, Antonio Cammisecra, em nota.

Segundo a Enel, o negócio está em linha com o plano estratégico do grupo para o período 2019-2021, que prevê maximizar e acelerar a criação de valor por meio da venda de ativos para liberar recursos a serem investidos em novos projetos.

O modelo de negócios é conhecido como “construir, vender e operar” (BSO, na sigla em inglês).

O fechamento da transação é esperado para o terceiro trimestre de 2019, e ela está sujeita a condições precedentes incluindo a aprovação de autoridades antitruste, segundo a Enel.

A CGN Energy International é um braço de investimentos em ativos não nucleares no exterior da China General Nuclear Power Corporation (CGN), fundada em 1994, que é a maior operadora de ativos nucleares da China, segundo informações do site do grupo.



Fonte: Revista Forbes

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

"LUGAR DE DESTAQUE", O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO TERÁ OS HOLOFOTES DO MUNDO EM SUA PRESENÇA NO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL, EM DAVOS, NA SUÍÇA.

Presidente Jair Bolsonaro


O Presidente Jair Bolsonaro será o primeiro presidente latino-americano a falar na sessão inaugural do Fórum Econômico Mundial, que começa na semana que vem na Suíça. O espaço privilegiado foi dado ao brasileiro pelos organizadores diante do interesse internacional que hoje existe tanto sobre o que ocorre no Brasil, mas também por conta da curiosidade que se tem sobre o que é de fato o novo governo brasileiro.

O lugar de Bolsonaro em Davos estava sendo cuidadosamente negociado entre o Itamaraty e os organizadores do evento, desde sua vitória nas eleições presidenciais, em outubro. Klaus Schwab, fundador do evento, já havia antecipado na terça-feira para a imprensa brasileira que o presidente seria "muito bem recebido" na estação aos pés da Montanha Mágica.

A fala, que deve ter entre 30 minutos e 45 minutos, promete ser uma espécie de apresentação de Bolsonaro à elite das finanças internacionais e da imprensa global. A sessão de abertura é, na maioria das vezes, acompanhada com uma atenção especial, já que dá o tom do evento. Ela não é a primeira fala do Fórum que, de fato, já começa na noite de segunda-feira. Mas é o evento mais aguardado no primeiro dia de fato de debates.

Abertura comercial, reforma da Previdência e combate à corrupção estarão no centro do discurso, que também servirá para tentar desfazer uma imagem que, até agora, tem sido negativa no cenário internacional. Não haverá, porém, espaço para perguntas depois de seu discurso.

Bolsonaro, além do palco na terça-feira, terá um jantar com outros presidentes da América Latina. Mas o evento ocorre fora do centro de congressos.

Encontros bilaterais também estão sendo agendados para o presidente brasileiro. Mas a ausência de Donald Trump, que cancelou sua viagem para Davos, frustrou a esperança da diplomacia brasileira de ter o primeiro encontro entre o norte-americano e o presidente brasileiro.

Em Davos, porém, Bolsonaro não ficará isento de pressões, principalmente no que se refere ao capítulo climático. O Fórum tem ampliado a cada ano os debates sobre mudanças climáticas e, segundo o departamento que lida especificamente com o assunto em Davos, o objetivo é conseguir um compromisso das grandes multinacionais a agir para reverter a tendência relativa às emissões de CO2. Do Brasil, portanto, se espera um compromisso também nesse setor.

ONGs internacionais que estarão em Davos também indicam que vão buscar esclarecimentos sobre a postura do governo sobre questões como direitos humanos.

​Criatividade

Durante o Fórum, outra mensagem que o Brasil levará será a de que quer fazer parte dos governos que irão desenhar a "nova OMC". No dia 25 de janeiro, o chanceler Ernesto Araújo participará de uma reunião ministerial que, no fundo, dará o pontapé inicial para o processo de reforma da entidade, em crise profunda.

Em Genebra, chamou a atenção que seu discurso de posse tenha citado especificamente a reforma da OMC, indicando que o Brasil quer ter um papel central nesse processo. Mas também com "criatividade".
O recado foi interpretado por diplomatas estrangeiros como um sinal de que o Brasil vai apresentar ideias em um caminho diferente do que estava ocorrendo nos últimos anos.

Mas o Brasil vai insistir que, nessa reforma da OMC, a agricultura precisa fazer parte e o processo não pode apenas estar focado em "novos temas", de interesses dos países desenvolvidos.

Prioritário na reforma da OMC, porém, é encontrar uma solução para o impasse na escolha dos juízes dos tribunais da entidade. Se a crise não for superada até o final do ano, o órgão deixaria de funcionar e seria causado uma paralisação no sistema legal internacional.

O processo, segundo diplomatas, deve levar 18 meses, período que muitos chamam de "refundação" da OMC.


Fonte: Estadão

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

CAIXA PRETA DO BNDES COMEÇA SER ABERTA, JOAQUIM LEVY ORDENA QUE EQUIPE DISPONIBILIZE "CONSULTA POPULAR" VIA INTERNET AOS CONTRATOS FEITOS NO BNDES

Presidente Jair Bolsonaro e BNDES


O novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, ordenou que a área responsável pela T.I. (Tecnologia da Informação) do banco disponibilize todos os contratos de empréstimos dos cinquenta maiores tomadores de recursos da instituição desde 2004.

Qualquer cidadão poderá consultar essas informações a partir do próximo dia 18.

Não se espante se, entre esses 50 maiores tomadores de empréstimo, aparecerem os maiores financiadores de campanha do PT.

Isso é só o começo … logo também saberemos quem são os ‘caloteiros’ do BNDES, além de todos os contratos espúrios que foram feitos durante as gestões petistas.

A caixa-preta começou a ser aberta!



RESILIÊNCIA: CONHEÇA 7 COMPORTAMENTOS QUE AFASTAM OS OUTROS, REFLITA.



Podemos desenvolver comportamentos que afastam os outros de nós, assim como podemos colocar em movimento outros que os aproximam. No primeiro caso, podemos influenciar negativamente nossos relacionamentos com amigos ou familiares.

Assim, para cuidar daqueles que amamos e não ameaçar o nosso círculo de apoio, seria bom identificar e mudar esses comportamentos que afastam os outros.

Às vezes, esses comportamentos são motivados pela inveja. Uma emoção negativa que, em geral, prejudica os nossos relacionamentos e empobrece a nossa comunicação. Assim, para nos aprofundarmos nessa e em outras causas, analisaremos alguns destes comportamentos a seguir.

Comportamentos que afastam os outros

1. Ter inveja do sucesso dos outros

O primeiro dos possíveis comportamentos que afastam os outros se baseia na emoção que apontamos antes, juntamente com um sentimento de falta de sucesso pessoal. Neste caso, se detectarmos esta dinâmica, o ideal é tentar desativar o “modo de comparação”.

É verdade que as comparações nos fornecem informações sociais valiosas. Elas podem nos dizer se somos os melhores ou os piores de uma classe, permitindo-nos usar essa informação a nosso favor.

No entanto, em um momento em que estamos especialmente sensíveis à inveja, elas dificilmente nos ajudarão.

2. Levar as críticas para o lado pessoal

Os comportamentos que afastam os outros são mais prováveis quando nos colocamos em uma atitude defensiva, atacando os demais para nos defendermos.

Diante desta situação, precisamos nos acalmar por um momento e tentar desviar o canal que direciona as palavras dos outros para o “eu”, uma forma de pensar que nos faz avaliá-las como um ataque.

Isso não significa que devemos adotar uma atitude passiva e nos esquivar do que os outros pensam de nós. A solução é ajustar o nosso julgamento para aproveitar de forma inteligente as informações que chegam a nós.

3. Permanecer no papel de vítima

Agir como vítima também é um dos comportamentos que nos afastam dos outros. Essa encruzilhada pode ocorrer quando sentimos que todos os problemas que cercam nossa vida estão sempre focados nos outros.

Além disso, esse problema nos fará sentir anulados como pessoas e, nesse processo, prejudicaremos o nosso desenvolvimento pessoal.

4. Não acumule ressentimento

Sempre que nos sentimos mal ou sofremos de alguma forma, é normal que essas emoções negativas se diluam no tempo até encontrar uma solução para o problema em questão.

No entanto, se acumularmos dor e ressentimento toda vez que passarmos por algum momento complicado, acabaremos nos tornando pessoas amargas e tóxicas.

5. Não controlar as emoções

Uma pessoa sempre tem um desafio pela frente: melhorar a gestão que faz das suas emoções. Nesse sentido, reconheça que ataques de ira ou raiva, assim como lágrimas ou birras, serão um primeiro e valioso passo para afastar os outros de nós.

Projetaremos diante dos demais uma imagem de imaturidade, aumentando a probabilidade de pensarem que temos pouco autocontrole.

Diante disso, propomos abrir caminho para uma relação inteligente com as emoções: precisamos ouvir o que elas têm a nos dizer e administrar a sua energia da melhor forma para nós mesmos e para aqueles que nos amam.

6. Falta de empatia

A empatia é uma qualidade muito positiva, valorizada tanto na vida pessoal quanto nos ambientes de trabalho. Saber como se colocar no lugar das outras pessoas nos permitirá entender melhor os seus problemas, adicionando pontos ao nosso QI emocional.

Assim, a sensibilidade com os demais, com seus pensamentos e emoções, longe de ser um dos comportamentos que afasta os outros, gera uma cumplicidade que atua como uma cola em todos os relacionamentos profundos que iniciamos e mantemos.

7. Não respeitar os limites

Da mesma forma que queremos que as outras pessoas respeitem essas linhas vermelhas, nós também, como regra geral, devemos respeitar os limites dos demais.

Ao ponderar os limites físicos, leve em consideração a cultura da pessoa com a qual está lidando, já que o seu ambiente de convivência pode nos ajudar a identificar a distância com a qual o outro se sente confortável.

Por exemplo, as culturas japonesas ou chinesas, assim como as do norte da Europa, tendem a manter uma distância maior. Por outro lado, as culturas do Mediterrâneo ou do Oriente Médio não têm tantas regras quando se trata de estabelecer contato físico ou de se aproximar das outras pessoas para conversar.

Levando em consideração todos esses fatores, poderemos evitar comportamentos que afastam os outros para desfrutarmos de uma vida mais saudável, especialmente no campo pessoal.


Fonte: Resiliência Humana

REVISTA FORBES PARABENIZA BOLSONARO E DESTACA: O BRASIL É O MELHOR MERCADO DO MUNDO AGORA E LIDERA AS MAIORES TRANSAÇÕES PASSIVAS DO MERCADO ENTRE AS MAIORES ECONOMIAS DO MUNDO

Presidente Jair Bolsonaro


É apenas uma semana para 2019 e o Brasil é o melhor mercado de ações do mundo. Parabens , Jair Bolsonaro. Até que os tanques do exército entrem, como seus oponentes acreditavam há apenas quatro meses, o Brasil está no caminho de ser o mercado de melhor desempenho neste trimestre, se não no primeiro semestre de 2019.

Com base nas maiores transações passivas nos mercados, a iShares MSCI Brasil está superando o SPDR S & P 500, Rússia, Índia, China (China), México, FTSE Europa, Japão e o mais amplo MSCI Emerging Markets Index.

A Fitch Solutions prevê que o crescimento do PIB do Brasil atinja 2,4% este ano, ante 1,3% no ano passado.

A recuperação econômica do Brasil ganhará força nos próximos trimestres, disseram pesquisadores da Fitch Solutions em um relatório publicado na terça-feira. Eles citaram um sentimento positivo de negócios reforçado pela nova administração de Bolsonaro.

A maior parte do movimento positivo na política e no mercado de ações vem do fato de que o país está emergindo de seu padrão de detenção. Desde que Dilma Rousseff foi cassada e depois destituída em um julgamento no Senado em agosto de 2016, o Brasil foi liderado pelo vice-presidente Dilma, de mentalidade reformista, mas altamente impopular, Michel Temer. Sua taxa de aprovação nunca quebrou 10%. Ele aprovou várias reformas - bonificações de gastos, uma nova lei trabalhista sindical, reformas da Petrobras -, mas nada disso fez com que o mercado brasileiro voltasse a funcionar.

Com o fim de Temer e a aprovação antecipada de Bolsonaro nos anos 60, o clima geral no Brasil não é exatamente eufórico, mas melhor descrito como uma mistura de suspiro de alívio e espera-para-ver.

Os macro analistas da Fitch não acham que o Brasil está pronto para crescer como gangbusters de repente. De fato, a estimativa anterior para o PIB de 2019 era de 2,5%. Eles diminuíram porque a desaceleração econômica chinesa significa menos soja brasileira e minério de ferro indo para lá este ano.

Uma melhora no sentimento do negócio tende a significar maior investimento corporativo. Mais investimento corporativo geralmente se traduz em novas contratações.

O mercado de trabalho brasileiro adicionou 755.537 empregos entre janeiro e novembro, reduzindo a taxa de desemprego para 11,6%. Ainda é alto, mas é o menor desde julho de 2016.

A inflação estável significa que os brasileiros também têm mais dinheiro em seus bolsos. O sentimento do consumidor encerrou o ano no seu nível mais alto desde 2013, o que para o Brasil foi um ano de expansão infundido por estímulo Dilma.

O maior obstáculo para Bolsonaro é a reforma previdenciária. Os gastos do setor público, a maioria na aposentadoria de funcionários públicos, reduzem a quantidade de dinheiro que o governo pode colocar para trabalhar em outro lugar - como infraestrutura.

Infelizmente (e não é surpresa), Bolsonaro e seu gabinete não vêem totalmente a mesma coisa em relação à reforma previdenciária. Sua equipe econômica é liderada pelo conhecido investidor Paulo Guedes. Grande parte de sua base é militar. As forças armadas têm sido uma das maiores beneficiárias dos planos de pensão ultrapassados ​​do Brasil. A falta de progresso nessa frente irá corroer a confiança do investidor, embora a maioria dos investidores diga que está esperando até o início do segundo semestre antes de repensar o Brasil.

Na segunda-feira, o WSJ publicou um artigo chamando Bolsonaro de "o maior vencedor do Brasil em 2018".

"Ele ofendeu grosseiramente mulheres, minorias sexuais e afro-brasileiros e elogiou o governo militar no Brasil e no Chile", escreveu o WSJ.o colunista Walter Russell Mead. “Depois de 28 anos de serviço imperturbável no Congresso, Bolsonaro foi descartado como uma figura marginal. Não importava em 2018. Um colapso econômico, uma onda nacional de crimes e o pior escândalo de corrupção na história do Brasil destruíram a crença do público no establishment político ”, diz ele. Bolsonaro essencialmente derrotou o candidato rival do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, ganhando pouco mais de 55% dos votos. “Os investidores esperam que o 'Trump of the Tropics' liberalize a economia do Brasil e reformar seu dispendioso sistema previdenciário. É mais fácil mobilizar a ira pública do que introduzir reformas efetivas ”, escreveu Mead, acrescentando que 2019 será um ano desafiador para o Brasil.

O Bolsonaro teve um bom começo.


Fonte: Revista Forbes Por Kenneth Rapoza

sábado, 12 de janeiro de 2019

IMPRENSA SUÍÇA NOTICIA: "EM VEZ DE TRUMP, O PRESIDENTE SUÍÇO MAURER AGORA VAI SE ENCONTRAR COM BOLSONARO, O MERCADO ESTÁ ANIMADO

Presidente Jair Bolsonaro


Ele teria uma "conversa de quatro olhos" com Donald Trump, disse o presidente federal Ueli Maurer (SVP) no último domingo. Apenas cinco dias depois, a cúpula Suíça-EUA estourou: Trump cancelou sua viagem ao Fórum Econômico Mundial (WEF) por causa do fechamento em Washington. Em vez de Trump, Maurer poderia agora encontrar outra figura igualmente controversa na política mundial em Davos: o novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro .

As ex-forças armadas ultra-direitas e altamente controversas assumiram a liderança do quinto maior país do mundo em 1º de janeiro. Sua primeira viagem ao exterior Bolsonaro leva agora apenas para a Suíça. Para se apresentar à elite mundial no FEM, o homem de 63 anos adiou até mesmo uma intervenção médica. E como é agora conhecido, Bolsonaro também poderia encontrar Maurer em Davos. "Estamos trabalhando em várias opções para uma reunião suíço-brasileira", confirmou o embaixador do Brasil em Berna, Evandro Didonet. Em discussão é uma discussão no nível presidencial ou em nível ministerial. "Isso depende das agendas dos dois presidentes", disse Didonet.

A assessoria de imprensa de Maurer não comenta isso. Apenas afirma que o programa WEF da Maurer será informado "no devido tempo". Extraoficialmente, no entanto, a Administração Federal confirma que o Conselho Federal também está interessado em uma reunião bilateral com o Brasil. Esse interesse não é coincidência: a Suíça está atualmente conduzindo negociações de livre comércio com os estados sul-americanos do Mercosul, que incluem o Brasil. A economia suíça está em alta, pois está em concorrência com a UE, que também está buscando um acordo com o Mercosul.

Não menos importante, por essa razão, acolhe os parlamentares suíços de todos os campos quando Maurer encontra o polêmico Bolsonaro. Bolsonaro é de fato "uma figura terrível", diz o SP Nacional Carlo Sommaruga. Para a Suíça, no entanto, trata-se de obter informações em primeira mão sobre suas intenções políticas - por exemplo, se ele quer continuar com a política de livre comércio. Ao mesmo tempo Maurer Bolsonaro deve lembrar, no entanto, para preservar a democracia, os direitos humanos e minorias, exige Sommaruga.

Glória pela Suíça
declarações de campanha por Bolsonaro ter despertado em todo o mundo teme que ele iria sacrificar como presidente, sob o pretexto da luta contra o crime no Estado de direito, torpedo os direitos das minorias, bem como acelerar a exploração da selva.

A Conselheira Nacional do CVP, Elisabeth Schneider-Schneiter, também espera que Maurer deposite Bolsonaro "os valores suíços da democracia, dos direitos humanos e do estado de direito". mas contra uma reunião há nada de errado: "A Suíça está falando com todos" SVP Nacional Claudio Zanetti considera ainda "uma grande honra para a Suíça que o presidente de um país grande primeira visita como a Suíça." Acima de tudo, Maurer e Bolsonaro tiveram que falar sobre um tópico, exige Zanetti: sobre o livre comércio.

Maurer realmente queria falar sobre o livre comércio com Trump. Ele havia expressado sua esperança para a TeleZüri de que ele e Trump poderiam "colocar um acordo de livre comércio entre a Suíça e os EUA". Agora resta a questão se, segundo o WEF, pelo menos as negociações de livre comércio com o Mercosul e o Brasil ainda estão nos trilhos.


A SURPRESA DA COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JUNIOR É POTIGUAR, VISÃO CELESTE VENCE E CHEGA A TERCEIRA FASE

Equipe do Visão Celeste


A equipe do Visão Celeste de Parnamirim/RN vem fazendo história na Copa São Paulo de Futebol Júnior que é realizada todos os anos no Estado de São Paulo. A equipe potiguar antecipou sua viagem para a capital paulista onde iniciou os preparativos bem antes que muitos times tradicionais que disputam a competição.

O resultado não poderia ser outro. Após um longo período de preparação para disputa do torneio, a equipe da cidade Trampolim da Vitória conseguiu um feito inédito para o futebol potiguar. Eles conseguiram avançar para terceira fase em um jogo acirrado frente a forte equipe do Fortaleza na manhã deste sábado (12), ao vencer o time cearense, por 2 a 1. 



Os resultados torna a equipe do Visão Celeste "a surpresa" da Copa São Paulo, não só da copinha, mas do futebol potiguar. Esta é a primeira vez que uma equipe Norte-riograndense consegue chegar a 3ª fase da Copinha. Times tradicionais como Abc de Natal, América de Natal, O Globo e o Alecrim jamais conseguiram.

A cidade potiguar possui o maior IDH do Rio Grande do Norte, além do terceiro maior PIB per capita, por meio de uma economia voltada para a agropecuária e indústrias, incluindo a fábrica da Coca-Cola.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

CIRO GOMES ROMPE O SILÊNCIO E DIZ: O PT DEU R$ 1 BILHÃO EM CONTRATOS SEM LICITAÇÕES NA PETROBRAS PARA EUNÍCIO DE OLIVEIRA



Ciro Gomes sempre foi um grande aliado do PT ao longo dos anos, tendo sido inclusive ex-ministro do governo Lula, mas agora está magoado por ter sido defenestrado no último pleito eleitoral. Com a sua característica impulsiva, acabou falando demais em recente entrevista ao jornal espanhol El País. 

“Campanha pra eles eu não faço mais. Votei no Haddad como cidadão, mas não voto mais nesta burocracia do PT. Não faço campanha com eles nunca mais. De lá pra cá eles se corromperam. Essa é a triste, dura e sofrida realidade. Apodreceram. Tomaram gosto pelas benesses do poder.” 

Ciro aproveitou a entrevista e revelou um escândalo gravíssimo em que, segundo o ele, Lula e o PT teriam dado 1 bilhão de reais em contratos sem licitação na Petrobras em favor de Eunício Oliveira, ex-presidente do Senado. O Esquema teria ligação com Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro e delator da Operação Lava Jato. 




Com a declaração de Ciro, não é mais necessário realizar delação premiada, Ciro entregou o PT. 

Todos os envolvidos – que ainda não estão na cadeia – precisam ser algemados imediatamente. 


Fonte: Republica de Curitiba

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

FIM DA NOVELA, PRESIDENTE JAIR BOLSONARO AUTORIZA FUSÃO ENTRE AS EMPRESAS BOEING (AMERICANA) E EMBRAER (BRASILEIRA).



O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que o governo não irá se opor à fusão entre as fabricantes de aeronaves Boeing, norte-americana, e Embraer, brasileira. A União tem participação com "golden share" com poder de veto. Integrantes do governo se reuniram no Palácio do Planalto para tratar do assunto.

“Reunião com os Ministros da Defesa, da Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Economia sobre as tratativas entre Embraer (privatizada desde 1994) e Boeing. Ficou claro que a soberania e os interesses da Nação estão preservados. A União não se opõe ao andamento do processo”, disse o presidente no Twitter.

O acordo foi selado no ano passado e aguarda apenas a decisão do governo brasileiro para seguir adiante. Pelo acordo, a Boeing seria controladora da empresa, com 80% das ações da nova companhia. Para isso, pagaria US$ 4,2 bilhões. No caso das operações de Defesa, seria criada uma nova empresa na qual a Embraer teria 51% das ações.

No início do mês, o presidente criticou os termos da proposta final. Bolsonaro manifestou preocupação com a possibilidade de, em cinco anos, todas as ações poderem ficar com a empresa americana.

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República informou que o governo não exercerá o seu poder de veto sobre o acordo.

“O Presidente foi informado de que foram avaliados minuciosamente os diversos cenários, e que a proposta final preserva a soberania e os interesses nacionais. Diante disso, não será exercido o poder de veto (Golden Share) ao negócio”, diz texto.

O assunto foi tratado em em reunião nesta quinta-feira entre Bolsonaro, os ministros da Defesa, Fernando Azevedo; do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, e representantes do Ministério da Economia e dos Comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.


Fonte: G1

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

PORQUE A MÍDIA MENTIU SOBRE BASE MILITAR AMERICANA NO BRASIL? EM 2008 NO GOVERNO LULA A BASE MILITAR AMERICANA FOI REATIVADA



Ao admitir a presença de uma base militar norte-americana no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro provocou uma avalanche de críticas dos petistas e da imprensa marrom (que está literalmente falida).

Deixando a hipocrisia de lado, gostaríamos de esclarecer que já existe no Brasil uma base dos “Marines” (Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos) que foi reativada durante a gestão de Lula, no dia 1º de julho de 2008.

A tal base pertence à 4ª Frota da Marinha americana, responsável pelo Atlântico Sul e Caribe.

Em 2011, durante a gestão da presidente Dilma Rousseff, autoridades do governo brasileiro participaram da celebração dos 235 anos da Independência norte-americana.

Eduardo Suplicy, ex-senador do PT, estava presente na base dos Marines em SP e comemorou alegremente o 4 de Julho (feriado dedicado à celebração da Declaração da Independência dos Estados Unidos).

Somente a título de informação, os EUA têm cerca de 800 bases (navais e aéreas) em mais de 30 países do globo … Alemanha, Itália, Japão, Turquia, Portugal, Dinamarca, Espanha, Coreia, Austrália, Reino Unido, Israel, etc.



Fonte: Diário do Poder

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

BOLSONARO CUMPRE PROMESSA DE CAMPANHA E O BRASIL DEIXARÁ PACTO FIRMADO COM A ONU



Na contramão de todo o mundo e alinhado apenas aos Estados Unidos e outros poucos países com governos de caráter populista, o governo de Jair Bolsonaro oficializou, nesta terça-feira (8), a saída do Brasil do Pacto Global para Migração da Organização das Nações Unidas (ONU).

De acordo com a rede britânica BBC, o Itamaraty enviou telegramas a diplomatas brasileiros no exterior pedindo que a ONU fosse comunicada da decisão. O Ministério das Relações Exteriores ainda não divulgou um comunicado público sobre a saída do Brasil do pacto, mas os diplomatas confirmaram à imprensa o fato e informaram que a ONU já foi notificada.

A decisão do governo brasileiro não causa nenhuma surpresa, já que o próprio Bolsonaro e seu chanceler, Ernesto Araújo, já haviam adiantado a intenção de deixar o acordo em dezembro. “A imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país”, disse Araújo à época. A ONU, imediatamente, reagiu e classificou a atitude como lamentável.

“É sempre lamentável quando um Estado se dissocia de um processo multilateral, em especial um (país) tão respeitável de especificidades nacionais”, disse Joel Millman, porta-voz da Organização Internacional de Migrações.

Criado em 2017 e assinado por dois terços dos 193 países que compõem a ONU, o Pacto Global para Migração estabelece diretrizes para o acolhimento de imigrantes e prevê, por exemplo, que os países deem uma resposta coordenada ao fluxo migratório e que não associem os direitos humanos à nacionalidade.


Fonte: Revista Fórum 

EQUIPE ECONÔMICA DE BOLSONARO VAI AMPLIAR PROJETO DE DILMA ROUSSEFF, O PROGRAMA BRASIL MAIS PRODUTIVO VAI RECEBER MELHORIAS



Em uma das ações para aumentar a competitividade das empresas brasileiras, a nova equipe da Economia pretende ampliar o programa Brasil Mais Produtivo, que ajuda pequenas e médias empresas a aumentarem a produção com ações simples, como mudanças de rotinas produtivas e redução de desperdícios. O programa foi criado ainda na gestão de Dilma Rousseff.

Segundo apurou o Estadão/Broadcast, a meta é que o programa passe a atender a 7 mil empresas neste ano e 15 mil por ano a partir de 2020. Entre 2016, quando foi lançado, e o ano passado, o Brasil Mais Produtivo atendeu apenas 3 mil empresas, com um orçamento de R$ 50 milhões, mas alcançou um resultado que chamou a atenção do novo governo: as empresas aumentaram em média a produtividade em 52%, ante uma meta de 20% estabelecida.

Foi o custo baixo e o retorno considerado significativo do programa que agradou a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ainda na transição, o secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa, disse que manteria o programa.

A avaliação é que se esse aumento médio na produção for replicado para um universo maior, terá impacto positivo na economia. Os técnicos acreditam que, ao levar a um ganho de eficiência, o programa pode ajudar a resolver problemas de competitividade das empresas "do muro para dentro", junto com a maior abertura para compra de máquinas e equipamentos e qualificação de mão de obra, políticas que, segundo fontes da área econômica, serão adotadas concomitantemente a outras que ajudarão "da porta para fora", como a reforma tributária, por exemplo.

Para a nova etapa, foram feitos ajustes no modelo de intervenção, em que um consultor ligado ao Sistema S passa cerca de 180 horas dentro da empresa fazendo um diagnóstico, sugerindo e implementando mudanças para aumentar a produtividade. O número de horas do consultor em cada empresa deve cair para 120, o que foi considerado suficiente na avaliação do programa. Com isso, o custo por intervenção deve ser reduzido de R$ 18 mil para R$ 12 mil, o que levaria o orçamento total do programa para cerca de R$ 84 milhões neste ano.

Neste momento, técnicos do novo governo buscam parceiros como a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o BNDES para garantir a expansão. O programa recebeu recursos também do Sistema S e, no desenho inicial, cada empresa bancava cerca de R$ 3 mil da intervenção.

Sem previsão orçamentária para custear o programa neste ano, a nova equipe está montando um modelo para financiar a expansão com várias alternativas, desde criar um fundo ligado às associações, até aumentar a parte das próprias empresas na divisão dos custos.

Soluções. "São soluções simples, mas de alto impacto e que ninguém tinha pensado antes", afirma Philipe Lima, administrador da Camisaria Nyll, fábrica de moda masculina do Distrito Federal. Com cerca de 40 empregados, a empresa, fundada há mais de 30 anos, tinha uma produção que precisava ser lapidada e, por isso, aderiu ao programa.

Depois de um diagnóstico, a produção mudou: se antes era linear, com máquinas e funcionários organizados por etapa - molde, corte, costura, acabamento - após a consultoria, foram montadas células. Cada equipe faz a produção completa de gola, punho, manga e outras são responsáveis pelos acabamentos.

"Mudamos costureiras e máquinas de lugar e enxugamos a linha de produção, Os funcionários andavam demais dentro da fábrica. Até os passos das costureiras chegaram a ser contados para otimizar o processo produtivo", lembra Lima. O resultado já foi contabilizado: a produtividade aumentou 37%, com a capacidade de fabricação passando de 320 camisas para 440 peças diariamente.

O Brasil Mais Produtivo atende a empresas de até 200 funcionários, inicialmente de quatro áreas: metal mecânico, móveis, alimentos e bebidas e têxteis e vestuários, mas seu alcance também deverá ser expandido. O programa é baseado no conceito de manufatura enxuta e prevê, por exemplo, a mudança de lugar de insumos e equipamentos.




Fonte: Jornal do Brasil

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

O MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DO POTENGI VEM PASSANDO POR PROBLEMAS ESTRUTURAIS GRAVES, COMO É MOSTRADO POR ALGUNS INTERNAUTAS NAS REDES SOCIAIS E EM MENSAGENS ENVIADAS AO BLOG

São Paulo do Potengi/RN

A cidade de São Paulo do Potengi vem passando por problemas estruturais que vem sendo relatados por internautas via redes sociais com fotos e vídeos publicados na internet por vários internautas. Alguns meses atrás o Blog foi surpreendido por um internauta que fez uma filmagem sobre a rodovia esburacada que fica em cima da parede da barragem, mostrando um total abandono por parte do poder público. 

No vídeo nota-se que a barragem ainda estava seca devido a estiagem que vem assolando quase todo Brasil. Noutro vídeo publicado pelo mesmo internauta, ele grava em frente a rodoviária que está em "fase de acabamento" na cidade, porém, muitos anos se passaram e a obra continua lá sem ser finalizada.

Agora recebemos do internauta Ewerton Vieira a seguinte mensagem via redes sociais: 

"Boa tarde amigo,fui procurado por moradores da rua João Pedro (conhecido como do chapéu cagado) lá tem um esgoto a céu aberto e os moradores não aguentam mais conviver com essa podridão. As fezes borbulhando e o fedor insuportável, já fizeram baixo assinado, já procuraram o ministério público, já falaram com o secretario de obras, já falaram com vereadores e nada de resolver o problema".

Ewerton Vieira

Rua João Pedro



A raiz do problema

Abaixo assinado apresentado ao MP




Junto com a mensagem foram enviadas as fotos do problema, vídeo e o abaixo assinado encaminhado ao Ministério Público, porém o problema continua sem solução, até quando ainda não se sabe.

Em outra publicação feita pelo internauta Ewerton Vieira, ele publicou em sua rede social imagens da quadra de esportes da comunidade do cabaço. Como desportista da cidade, ele mostrou sua indignação com a situação da quadra abandonada pelo poder público com piso esburacado, com paredes sujas e pichadas, traves enferrujadas e o mais preocupante, com o telhado caindo, com vários rombos no teto, o que comprova os descuidos da prefeitura municipal.



Piso esburacado

Não é uma placa de energia solar

Buracos no teto



Em outra publicação o mesmo internauta desta vez mostra a área de lazer do construída pela prefeitura municipal na Vila Campo Grande. É uma obra que serviria para os populares do bairro ter suas tardes de lazer e praticas esportivas com as crianças, porém, como vemos nas fotos abaixo, é mais uma obra que foi abandonada pelo poder público e hoje não abriga nada. Um verdadeiro gasto de dinheiro público que será custeado pelos impostos pago pela população. Um total desrespeito com a população Potengiense que a muito vem sofrendo por diversos problemas estruturais, empregabilidade, com hospital regional sem uma devida estrutura de atendimento e muitos outros problemas.




Área de lazer da Vila Campo Grande







Em alguns pontos existe as medidas assertivas como na educação municipal que vem a muito tempo sendo valorizada, graças a algumas pessoas de competência que fazem um excelente trabalho a frente da secretaria de educação. Na saúde municipal existe alguns pontos que são acertados, mas em outras existe falhas e no pagamento do funcionalismo público que não vemos nenhuma reclamação sobre, porém em empregabilidade, a cidade deixa a desejar, visto que, é uma cidade polo na região Potengi e economicamente uma das mais importantes, mas precisa urgente ver estes pontos.

Como vimos na mídia constantemente, o prefeito Naldinho ultimamente tem se preocupado muito com as eleições da FEMURN e esquecido um pouco a cidade. Sabemos que existe pessoas que gerem os processos na ausência do gestor municipal, mas não é como a presença do verdadeiro "líder". Por outro lado a cidade tem um legislativo pouco atuante no que tange essas fiscalizações que deveria serem feitas pela câmara municipal, mas como vemos, os vereadores não atua sobre isso.

Entre anos e anos as gestões municipais do município vivem aquém do esperado pela população, muita promessa feita e poucas concluídas. É necessário que haja um engajamento maior por parte da população para cobrar e fiscalizar os órgãos públicos do município, afinal, eles tem obrigatoriedade de transparecer a sua população o que tem sido feito e o que falta fazer para melhorar "A MINHA QUERIDA CIDADE, SÃO PAULO DO POTENGI".


REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 4.0, HOMENS VERSUS MÁQUINAS, A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL GANHA ESPAÇO NOS MEIOS DE PRODUÇÃO E VAGAS DE EMPREGOS PODEM DESAPARECER

Operários fazendo acompanhamento das máquinas

A economia mundial vive em uma mudança constante assim como a natureza da terra. Essa mudança vem se modificando constantemente pela evolução da tecnologia que vem surgindo a cada novo ano. Foi assim desde do século I até os dias atuais, passando por diversas fases importantes que mudaram os rumos da história no mundo.

A atividade econômica mundial teve seu inicio ainda na Grécia antiga com os grandes "Pensadores, Platão e Aristóteles", que descreveram os problemas do comercio e a riqueza da época. Um pouco antes, precisamente no século IV com o surgimento do Feudalismo, deu-se inicio as primeiras atividades econômicas sem remuneração, isto era feito apenas com a troca da mão de obra do camponês por um pedaço de terra do senhor feudal para que eles produzissem seus alimentos e o excedente daquilo que era produzido, eles passavam para os senhores feudais como forma de pagamento pela terra doada. Na época ainda não exista dinheiro e toda atividade econômica era baseada na agricultura de subsistência ou trabalho servil, onde predominava a troca (escambo). 

As atividades econômicas familiar movimentavam a economia da época onde o meio mais comum era a troca de mercadoria (escambo) entre os povos. Com isso, a sociedade passou a se organizar de forma que as atividades foram crescendo e tanto camponeses quanto senhores feudais viam que através daquelas atividades, poderiam desenvolver mais seus ganhos.

Por volta de 3000 a.c, as cidades da Mesopotâmia, Fenícia, Judeia, Grécia e Roma foram as cidades responsáveis por desenvolver a economia de suas regiões em larga escala. O comercio ficava cada vez mais forte e houve a necessidade de criar uma "moeda" para facilitar o comercio local e na região. O comercio foi tão fortalecido na época, que houve a necessidade de criar as primeiras atividades bancárias da época, logo, surgiram os primeiros bancos

Primeira revolução Industrial

No século XVIII o mundo viveu uma transformação que teve inicio na Europa, precisamente em 1760 na Inglaterra começava "a primeira revolução industrial". A partir dessa data o homem estava aposentado o trabalho braçal que era feito em quase todos os processos. Dava-se inicio a era da revolução industrial que teve seu pico nas usinas de tecelagens da época.


Começava um novo ciclo nas cadeias de suprimentos das fábricas, aquele trabalho que antes era feito artesanalmente pelo homem, passaria ser feito pelas máquinas e as pessoas passariam ser trabalhadores assalariados. Até o final do século XVIII, os trabalhadores viviam no campo e só produziam o que consumiam. 

Mesmo com o avanço tecnológico da época, as manufaturas ainda dominavam os processos de produção aquecendo as economias locais. As fábricas de que ainda não tinham modernizado sua produção continuará a produzir artesanalmente, com isso, as vagas a demanda de vagas de empregos eram maiores, porém, com a inovação, o ciclo de produção acabaria sofrendo algumas mudanças.

A Inglaterra foi a precursora na primeira revolução industrial devido a diversos fatores, entre eles, por possuir uma rica burguesia. Era uma zona de livre comercio da Europa, o êxodo rural que era privilegiado pela aproximação do mar, o que facilitava a exploração dos mercados ultramarinos.

Apesar de ser limitada primeiramente a Inglaterra, houve um aparecimento de das industrias de algodão com o uso do tear mecânico, o que facilitou o aumento da produção e ajudou nas melhorias das manufaturas. 

Segunda Revolução Industrial

Em 1860 o mundo passou a descobrir outras fontes rentáveis que mudaria toda estrutura construída na primeira revolução industrial. Grandes descobertas contribuíram para o mundo passasse por uma nova mudança, "a segunda revolução industrial" o que aqueceria os mercados, melhoraria as condições de trabalho e aumentaria os lucros dos investidores da época.

Ao contrário da primeira fase onde a Inglaterra dominava as tecnologias, países como Alemanha, Itália, França e Rússia também tinham se industrializado. Nessa etapa, descobertas como a "eletricidade, petróleo, aço, o uso do motor a explosão, corantes sintéticos e a invenção dos telégrafos, estipularam a exploração de novos mercados e a aceleração da produção industrial.

Um dos maiores avanços foi o uso da eletricidade nos processos de produção, nos ambientes insalubres e escuros, os quais os trabalhadores da época eram obrigados a produzir. Mesmo com seu uso restrito devido as pesquisas laboratoriais, a eletricidade foi uma das mais importantes descobertas que contribuiu para o melhorar os processos nas cadeias de suprimentos da época. 

Antes todo processo de iluminação era feito pelo petróleo, porém com os avanços, a eletricidade passou a ser usada com mais frequência enquanto o petróleo passou a ser usado nos motores de combustão, outra invenção da época que substituiu as máquinas que eram a vapor e por máquinas que passariam a produzir em maior escala e com menor esforço físico humano.

Com o aço e o ferro, as estradas de ferro passaram a ser construídas facilitando o transporte da época. A produção das industrias passaram a ter um escoamento mais ágil e barato, o que facilitou os investimentos nos meios de transportes ferroviários, um dos mais usados até hoje nos países de primeiro mundo para escoar toda produção dentro do país ou de um país ou outro, dependendo da localização geográfica. 

Terceira Revolução Industrial

O capitalismo avançava no mundo desde século XVIII desenvolvendo meios de produção mais eficazes, que comportasse e suprisse a demanda de consumo da população mundial, que crescera de forma rápida, mais exigente e mais consumista. Foram mudanças necessárias, estudos, pesquisas tecnológicas e investimentos para desenvolver o mundo dos negócios e uma sociedade cada vez mais atuante.

Duas grandes mudanças já tinham ocorrido no mundo, mudanças que modificaram todos os processos da cadeia de suprimentos que abastece todos os setores da economia mundial, primeira e segunda revolução industrial tinham sido dos importantes passos para esse desenvolvimento, mas o munda não para de crescer, as pessoas de se multiplicarem e o consumo de bens e serviços só tendem a crescer. (Veja o vídeo)




És que chegamos no século XX e com ele na "Terceira revolução industrial". Chegamos na mais recente dinâmica de transformação dos sistemas produtivos. Após segunda guerra mundial, o mundo foi obrigado a se reconstruir, se transformar e evoluir. Iniciava-se em meados do século XX, os processos de inovações da informática, da produção e do consumo.

Os avanços tecnológicos nas áreas de nas áreas da física, química, biotecnologia, a escalada espacial, a genética, a robótica e outros avanços marcavam um novo mundo, o surgimento de uma economia mais globalizada e descentralizada, capaz de interligar por meios tecnológicos os mercados por todo mundo. Era o inicio de uma nova era, que um pouco mais tarde ganharia um outro capitulo mais avançando e importante da humanidade.

Quarta Revolução Industrial

O mundo presenciou três grandes revoluções iniciadas a partir do Século XVIII. Épocas de transformações que causaram grandes impactos no desenvolvimento dos meios de produção para facilitar a vida das pessoas. A sociedade vive uma crescente populacional em que necessita cada vez mais consumir bens e serviços.

O mundo passa a presenciar agora aquilo que víamos apenas em Hollywood, "Homem versus Máquinas", algo que víamos apenas nos filmes de ficção, passamos a ver no nosso cotidiano. Voltando na linha do tempo, na primeira revolução tivemos a criação da mecânica, na segunda a eletricidade, a terceira a automação e agora estamos vivendo "A quarta Revolução Industrial" , com a inteligência artificial, a robótica, Big data e outros processos nos meios de produção. (Veja o vídeo)



A cadeia de produção evoluiu de tal forma que os mercados ganharam força, o avanço do capitalismo no mundo gerou um mundo de oportunidades para o desenvolvimento dos seres humanos. Com os investimentos em "pessoas", estas foram capacitadas para desenvolver um mundo mais sofisticado onde os processos de produção otimizassem os custos de fabricação, o tempo da produção, o de transporte, as vendas e os lucros.

Após vários estudos e pesquisas, vimos o mundo se modificar. Surge então a "Indústria 4.0". Essas novas tecnologias permitem a fusão dos mundos físico, digital e biológico, que são as manufaturas 3D, a inteligência artificial, a internet das coisas, biologia sintética e sistemas ciber-físicos. 

O que modifica com a "Quarta Revolução Industrial"

A cada nova revolução industrial, o mundo passou por diversas transformações a que compete as cadeias de produção de todas as camadas da sociedade. Em todos os processos, com as evoluções que iam surgindo diante das novas tecnologias implantadas para otimizar a produção, a mão de obra humana ia sendo substituída pelas máquinas.

Os caminhos iriam ficando cada vez mais encurtados para os trabalhadores braçais que faziam o trabalho mais pesado. Com o surgimento da mecânica, os processos foram sendo modificados e novas funções iam surgindo conforme as demandas iam aumentando.

A realocação dessa mão de obra para outros setores das fábricas ou outras atividades aconteciam numa constância maior para que a produção seguisse seu fluxo. Os avanços tecnológicos foram acontecendo e os mercados foram criando novos postos de trabalho, pessoas recebiam investimentos, se capacitavam e supriam as necessidades do mercado.

Agora o mundo vive uma outra realidade, iniciada em 2010 pela Alemanha, a implantação da automação nos processos de fabricação nas industrias automobilísticas, mostrou ao mundo que a utilização do ser humano nos processos de produção iria levar pouco tempo para ser trocada por robôs, não demorou muito, começava ali a nova era, o século XXI. (Veja o vídeo).




"Homens versus Máquinas" disputam os mercados e os meios de produção. Os investimentos em pesquisas fizeram avanços em robótica fortalecer os mercados. Com isso, o mundo assiste grandes empresas investir na automação robótica e na inteligência artificial, esta capaz de tomar decisões sozinhas por meio da internet, obvio, com programação. 

Com os seis pilares da indústria 4.0 fixados em "interoperabilidade, virtualização, descentralização, capacidade em tempo real, arquitetura orientada a serviços e modularidade", o mundo pode sofrer um impacto profundo no que diz respeito a empregabilidade, sustentabilidade e sobrevivência das pessoas que serão substituídas pelas máquinas.

Acompanhem os vídeos na matéria e vejam as transformações que o planeta terá com a inteligência artificial englobada nos processos de produção.


Por Wilson Lima



O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO IRÁ ESCOLHER "O REITOR" DE 11 UNIVERSIDADES FEDERAIS, DENTRE ELAS A UFRN

O Presidente Jair Bolsonaro poderá escolher o reitor de 11 universidades federais neste ano. O motivo: nos últimos dias da gestão Michel T...