Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 4.0, HOMENS VERSUS MÁQUINAS, A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL GANHA ESPAÇO NOS MEIOS DE PRODUÇÃO E VAGAS DE EMPREGOS PODEM DESAPARECER

Operários fazendo acompanhamento das máquinas

A economia mundial vive em uma mudança constante assim como a natureza da terra. Essa mudança vem se modificando constantemente pela evolução da tecnologia que vem surgindo a cada novo ano. Foi assim desde do século I até os dias atuais, passando por diversas fases importantes que mudaram os rumos da história no mundo.

A atividade econômica mundial teve seu inicio ainda na Grécia antiga com os grandes "Pensadores, Platão e Aristóteles", que descreveram os problemas do comercio e a riqueza da época. Um pouco antes, precisamente no século IV com o surgimento do Feudalismo, deu-se inicio as primeiras atividades econômicas sem remuneração, isto era feito apenas com a troca da mão de obra do camponês por um pedaço de terra do senhor feudal para que eles produzissem seus alimentos e o excedente daquilo que era produzido, eles passavam para os senhores feudais como forma de pagamento pela terra doada. Na época ainda não exista dinheiro e toda atividade econômica era baseada na agricultura de subsistência ou trabalho servil, onde predominava a troca (escambo). 

As atividades econômicas familiar movimentavam a economia da época onde o meio mais comum era a troca de mercadoria (escambo) entre os povos. Com isso, a sociedade passou a se organizar de forma que as atividades foram crescendo e tanto camponeses quanto senhores feudais viam que através daquelas atividades, poderiam desenvolver mais seus ganhos.

Por volta de 3000 a.c, as cidades da Mesopotâmia, Fenícia, Judeia, Grécia e Roma foram as cidades responsáveis por desenvolver a economia de suas regiões em larga escala. O comercio ficava cada vez mais forte e houve a necessidade de criar uma "moeda" para facilitar o comercio local e na região. O comercio foi tão fortalecido na época, que houve a necessidade de criar as primeiras atividades bancárias da época, logo, surgiram os primeiros bancos

Primeira revolução Industrial

No século XVIII o mundo viveu uma transformação que teve inicio na Europa, precisamente em 1760 na Inglaterra começava "a primeira revolução industrial". A partir dessa data o homem estava aposentado o trabalho braçal que era feito em quase todos os processos. Dava-se inicio a era da revolução industrial que teve seu pico nas usinas de tecelagens da época.


Começava um novo ciclo nas cadeias de suprimentos das fábricas, aquele trabalho que antes era feito artesanalmente pelo homem, passaria ser feito pelas máquinas e as pessoas passariam ser trabalhadores assalariados. Até o final do século XVIII, os trabalhadores viviam no campo e só produziam o que consumiam. 

Mesmo com o avanço tecnológico da época, as manufaturas ainda dominavam os processos de produção aquecendo as economias locais. As fábricas de que ainda não tinham modernizado sua produção continuará a produzir artesanalmente, com isso, as vagas a demanda de vagas de empregos eram maiores, porém, com a inovação, o ciclo de produção acabaria sofrendo algumas mudanças.

A Inglaterra foi a precursora na primeira revolução industrial devido a diversos fatores, entre eles, por possuir uma rica burguesia. Era uma zona de livre comercio da Europa, o êxodo rural que era privilegiado pela aproximação do mar, o que facilitava a exploração dos mercados ultramarinos.

Apesar de ser limitada primeiramente a Inglaterra, houve um aparecimento de das industrias de algodão com o uso do tear mecânico, o que facilitou o aumento da produção e ajudou nas melhorias das manufaturas. 

Segunda Revolução Industrial

Em 1860 o mundo passou a descobrir outras fontes rentáveis que mudaria toda estrutura construída na primeira revolução industrial. Grandes descobertas contribuíram para o mundo passasse por uma nova mudança, "a segunda revolução industrial" o que aqueceria os mercados, melhoraria as condições de trabalho e aumentaria os lucros dos investidores da época.

Ao contrário da primeira fase onde a Inglaterra dominava as tecnologias, países como Alemanha, Itália, França e Rússia também tinham se industrializado. Nessa etapa, descobertas como a "eletricidade, petróleo, aço, o uso do motor a explosão, corantes sintéticos e a invenção dos telégrafos, estipularam a exploração de novos mercados e a aceleração da produção industrial.

Um dos maiores avanços foi o uso da eletricidade nos processos de produção, nos ambientes insalubres e escuros, os quais os trabalhadores da época eram obrigados a produzir. Mesmo com seu uso restrito devido as pesquisas laboratoriais, a eletricidade foi uma das mais importantes descobertas que contribuiu para o melhorar os processos nas cadeias de suprimentos da época. 

Antes todo processo de iluminação era feito pelo petróleo, porém com os avanços, a eletricidade passou a ser usada com mais frequência enquanto o petróleo passou a ser usado nos motores de combustão, outra invenção da época que substituiu as máquinas que eram a vapor e por máquinas que passariam a produzir em maior escala e com menor esforço físico humano.

Com o aço e o ferro, as estradas de ferro passaram a ser construídas facilitando o transporte da época. A produção das industrias passaram a ter um escoamento mais ágil e barato, o que facilitou os investimentos nos meios de transportes ferroviários, um dos mais usados até hoje nos países de primeiro mundo para escoar toda produção dentro do país ou de um país ou outro, dependendo da localização geográfica. 

Terceira Revolução Industrial

O capitalismo avançava no mundo desde século XVIII desenvolvendo meios de produção mais eficazes, que comportasse e suprisse a demanda de consumo da população mundial, que crescera de forma rápida, mais exigente e mais consumista. Foram mudanças necessárias, estudos, pesquisas tecnológicas e investimentos para desenvolver o mundo dos negócios e uma sociedade cada vez mais atuante.

Duas grandes mudanças já tinham ocorrido no mundo, mudanças que modificaram todos os processos da cadeia de suprimentos que abastece todos os setores da economia mundial, primeira e segunda revolução industrial tinham sido dos importantes passos para esse desenvolvimento, mas o munda não para de crescer, as pessoas de se multiplicarem e o consumo de bens e serviços só tendem a crescer. (Veja o vídeo)




És que chegamos no século XX e com ele na "Terceira revolução industrial". Chegamos na mais recente dinâmica de transformação dos sistemas produtivos. Após segunda guerra mundial, o mundo foi obrigado a se reconstruir, se transformar e evoluir. Iniciava-se em meados do século XX, os processos de inovações da informática, da produção e do consumo.

Os avanços tecnológicos nas áreas de nas áreas da física, química, biotecnologia, a escalada espacial, a genética, a robótica e outros avanços marcavam um novo mundo, o surgimento de uma economia mais globalizada e descentralizada, capaz de interligar por meios tecnológicos os mercados por todo mundo. Era o inicio de uma nova era, que um pouco mais tarde ganharia um outro capitulo mais avançando e importante da humanidade.

Quarta Revolução Industrial

O mundo presenciou três grandes revoluções iniciadas a partir do Século XVIII. Épocas de transformações que causaram grandes impactos no desenvolvimento dos meios de produção para facilitar a vida das pessoas. A sociedade vive uma crescente populacional em que necessita cada vez mais consumir bens e serviços.

O mundo passa a presenciar agora aquilo que víamos apenas em Hollywood, "Homem versus Máquinas", algo que víamos apenas nos filmes de ficção, passamos a ver no nosso cotidiano. Voltando na linha do tempo, na primeira revolução tivemos a criação da mecânica, na segunda a eletricidade, a terceira a automação e agora estamos vivendo "A quarta Revolução Industrial" , com a inteligência artificial, a robótica, Big data e outros processos nos meios de produção. (Veja o vídeo)



A cadeia de produção evoluiu de tal forma que os mercados ganharam força, o avanço do capitalismo no mundo gerou um mundo de oportunidades para o desenvolvimento dos seres humanos. Com os investimentos em "pessoas", estas foram capacitadas para desenvolver um mundo mais sofisticado onde os processos de produção otimizassem os custos de fabricação, o tempo da produção, o de transporte, as vendas e os lucros.

Após vários estudos e pesquisas, vimos o mundo se modificar. Surge então a "Indústria 4.0". Essas novas tecnologias permitem a fusão dos mundos físico, digital e biológico, que são as manufaturas 3D, a inteligência artificial, a internet das coisas, biologia sintética e sistemas ciber-físicos. 

O que modifica com a "Quarta Revolução Industrial"

A cada nova revolução industrial, o mundo passou por diversas transformações a que compete as cadeias de produção de todas as camadas da sociedade. Em todos os processos, com as evoluções que iam surgindo diante das novas tecnologias implantadas para otimizar a produção, a mão de obra humana ia sendo substituída pelas máquinas.

Os caminhos iriam ficando cada vez mais encurtados para os trabalhadores braçais que faziam o trabalho mais pesado. Com o surgimento da mecânica, os processos foram sendo modificados e novas funções iam surgindo conforme as demandas iam aumentando.

A realocação dessa mão de obra para outros setores das fábricas ou outras atividades aconteciam numa constância maior para que a produção seguisse seu fluxo. Os avanços tecnológicos foram acontecendo e os mercados foram criando novos postos de trabalho, pessoas recebiam investimentos, se capacitavam e supriam as necessidades do mercado.

Agora o mundo vive uma outra realidade, iniciada em 2010 pela Alemanha, a implantação da automação nos processos de fabricação nas industrias automobilísticas, mostrou ao mundo que a utilização do ser humano nos processos de produção iria levar pouco tempo para ser trocada por robôs, não demorou muito, começava ali a nova era, o século XXI. (Veja o vídeo).




"Homens versus Máquinas" disputam os mercados e os meios de produção. Os investimentos em pesquisas fizeram avanços em robótica fortalecer os mercados. Com isso, o mundo assiste grandes empresas investir na automação robótica e na inteligência artificial, esta capaz de tomar decisões sozinhas por meio da internet, obvio, com programação. 

Com os seis pilares da indústria 4.0 fixados em "interoperabilidade, virtualização, descentralização, capacidade em tempo real, arquitetura orientada a serviços e modularidade", o mundo pode sofrer um impacto profundo no que diz respeito a empregabilidade, sustentabilidade e sobrevivência das pessoas que serão substituídas pelas máquinas.

Acompanhem os vídeos na matéria e vejam as transformações que o planeta terá com a inteligência artificial englobada nos processos de produção.


Por Wilson Lima



2 comentários:

  1. Abordagem de extrema importância. É necessário esse debate na sociedade, sabermos definir os processos de produção e onde o ser humano pode chegar com esses avanços. A matéria foi clara e objetiva, mostrando o pós e contras dessa revolução. Parabéns ao blog e a Wilsom Lima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado minha querida! Esse debate precisa ser aberto urgente, pois, essa nova revolução iniciou sem que as pessoas percebam o quanto ela é fantástica e ao mesmo tempo prejudicial para a sociedade.

      Excluir

O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO IRÁ ESCOLHER "O REITOR" DE 11 UNIVERSIDADES FEDERAIS, DENTRE ELAS A UFRN

O Presidente Jair Bolsonaro poderá escolher o reitor de 11 universidades federais neste ano. O motivo: nos últimos dias da gestão Michel T...